Um pouco de tudo

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Hoje não tenho nenhuma grande aventura pra contar, mas acho interessante falar um pouquinho de como andam de fato as coisas e responder algumas coisas que têm me perguntado (quem tiver outras perguntas, as faça nos comentários). 

Rotina:
Sim, eu sei que pelo que eu escrevi parece que eu sou uma escrava. Como disse, ao olhar a lista de tarefas achei que era muita coisa, mas no fim nem é tanto. São coisas simples que, com a prática, tu faz rapidinho. Por enquanto tenho ficado em casa, mas vou conversar direitinho com a Gastmutter e ver se posso sair de tarde pra dar umas voltas, ou ao menos os horários que é melhor fazer isso sem deixar os guris sozinhos e tal. Até o momento minha tarde tem sido tranquila, passo lendo ou na internet, ou mesmo brincando com os guris. Hoje pela primeira vez fiz sozinha uma das receitas que a Gastmutter me deu e deu tudo certo (não coloquei fogo na casa e ainda disseram que tava bom). 

Comunicação:
Meu alemão deve muito, mas dá pra se comunicar. Da semana passada pra cá já notei diferença, especialmente porque o que tenho que dizer e o que escuto têm se associado com o que aprendi no curso durante os quatro anos, então tô me corrigindo pra não continuar falando como o Mestre Yoda. A cada dia eu aprendo palavras novas e, com os guris especialmente, a pronúncia correta. Também peguei emprestado com o guri mais velho leituras, é um modo de estudar afinal (revistas de esporte e "Diário de um banana"). Sem falar que hoje arrisquei ligar a televisão do meu quarto e deu tudo certo (ela não explodiu - meu passado me condena). Descobri que também posso ouvir rádio nela e, até o momento, é tudo que tô fazendo. Meu curso só começa em março.

Comida:
Como disse, até o momento não vi nada do que imaginamos típico da Alemanha ou que seja extremamente diferente para uma brasileira (mentira, domingo eu experimentei uma salsicha de algo que não sei o que era - e prefiro não saber, mas era bom. Não arrisquei o molho). Como sou uma pessoa que pouco liga pra comida e que não vê necessidade em temperos como cebola e alho, tive que modificar meus hábitos e cá estou eu comendo muito todo dia e sempre com bastante tempero. Aqui a Nutella é tri barata, então eu me afogo diariamente naquele potão que tem na cozinha (o que me fará engordar uns dez kilos, no mínimo). Não sei se o suco de laranja é barato, mas o estou tomando todo dia, é melhor que sempre água alemã - que tem um gosto estranho, pelo menos pra mim. E, não, ainda não parei pra comparar preços e ver se, como imagino, cerveja é mais barata que água (provavelmente não será).

Vida social:
Não, eu não vou ficar somente presa à família ou algo do tipo. No próximo sábado vou a Stuttgart (com sorte e atenção, consigo não me perder) para o encontro mensal de au pairs. Dessa vez será para todas as au pairs novas se apresentarem e tal, um café da manhã especial para todas se conhecerem. Antes disso, já falei com uma outra au pair da cidade, Yuliia (ucraniana), que me apresentou vários pontos da cidade domingo, e escrevi para a outra brasileira que está nas redondezas: Priscila, que tá em Stuttgart. Em breve, espero, nos encontraremos. Além disso, conhecerei gente nova no curso, quando ele começar. Então, creio, terei alguns amigos de quem falar por aqui e com quem andar por aí.

Horário: 
Por mais que eu fale, sempre tem quem pergunta a diferença dos horários de Brasil e Alemanha. No momento, com o horário de verão, a diferença é 3 horas (menos pros estados que não estão no horário de verão, claro). Três horas a mais, importante lembrar. Se em Brasilía é 7h, aqui é 10h. Com o fim do horário brasileiro de verão, a diferença passará a 4 horas. Em fim de março, quem entra no horário de verão é a Alemanha, aí então serão 5 horas a mais em relação ao Brasil. Compreendido?

Privacidade:
Os alemães prezam muito pela privacidade. Não digo isso pelo fato da família não querer que eu divulgue fotos da casa e deles, mas sim pelo fato da minha Gastmutter nem chegar perto do meu quarto. Quando eu tô no quarto e ela precisa falar comigo, ela me chama no corredor. Mesmo que a porta esteja aberta ela não entra. Outro dia ela queria que eu pegasse algo que a outra au pair deixou e eu devia olhar e eu não entendia o que era, então ela pediu autorização pra entrar no meu quarto, entrou e saiu correndo como se estivesse pegando fogo. Então eu tenho meu canto e posso ficar bem à vontade aqui. Se bem que, sim, os guris sempre passam por aqui. 

Enfim, como estão as coisas por aqui?
As coisas estão ótimas, na medida do possível. O que mais me incomoda é a língua mesmo, mas me anima ver que já consigo entender os guris mais facilmente. Mesmo não entendendo cada palavra, entendo o contexto geral. Não estou depressiva e nem choro toda as noites, tô bem tranquila (se bem que, sim, frio não tem a mesma graça sem pinhão, lareira e baralho). Aos poucos vou me adaptando a tudo e descobrindo  o que fazer e a melhor maneira de fazer. Nesse fim de semana além de me aventurar por Stuttgart, vou tentar ir no cinema. Logo mais pretendo descobrir como funciona o correio alemão. Ou seja, tudo aos poucos se ajeita - e quando eu já tiver pego bem o embalo será hora de voltar pro Brasil, mas são coisas da vida, afinal. 

Bis bald!

Desculpem, pessoas, se me emocionei com o fato de os carros pararem pros pedestres. Sou de Caxias do Sul, cidade onde os motoristas não só passam por cima do pedestre na faixa de segurança como dão ré pra ter certeza que o pegaram.

Ah, aos interessados: hoje saiu o terceiro podcast d'As Meninas dos Livros. O tema é séries literárias e falamos em: As Crônicas de Arthur, Academia de Vampiros, Crepúsculo e Os Três Mosqueteiros. OUÇA/BAIXE AQUI.

5 comentários:

Rogério Soares disse...

Quanta notícia em Ana.... quando for ler alguma coisa, sugiro a revista FOCUS. Essa revista alemã inspirou a nossa revista ÉPOCA. O formato gráfico e o conteúdo é todo inspirado na revista germânica. Impressionantemente como nós nunca criamos nada, estamos sempre copiando os outros. Quando estive na Itália consegui um exemplar dessa revista, que também pública no país dos césares. A FOCUS é uma revista semanal (quer dizer, não sei mesmo se é semanal, na Itália não consegui comprá-la periodicamente... depois vc me confirma essa afirmação, ok?) de grande prestígio na Europa. Seria algo como a nossa VEJA. Como vc faz jornalismo talvez fosse interessante pesquisar um pouco sobre esse universo, enquanto estivesse por aí. Eu lia também os jornais de maior circulação da Itália como o La Republica e o Corriere della Sera. Abraços e boa estadia... manera na nutela.

VaneZa disse...

Sinto você triste ainda. Sei lá... é uma impressão apenas.

BeijoZzz

PS: o "povu" de Caxias é muito malvado.

Tita disse...

Adorei essas curiosidades.
Ainda ficou faltando aquela minha curiosidade sobre o comparativo entre o conteúdo escolar daí e daqui. Mas tem tempo...
Guria, fiquei curiosa para saber o que os alemães achariam de ver um papo entre vc e a Yuliia... uma falando um alemão abrasileirado e a outra um alemão "ucraniado"(?) kkkkk
Quanto à privacidade... não sei se é coisa de alemão, mas na minha casa ninguém entrava no quarto do outro sem pedir permissão. Engraçado pq nunca me identifiquei com a cultura alemã, mas do q vc conta eu sou mais alemoa do q pensava rsrsrsrs
Talvez assistir mais TV te ajude também, mas é bom saber q vc está conseguindo se comunicar.
Acho normal vc estar sentindo falta das coisas que normalmente teria (muito além do pinhão...), mas tenho certeza que quanto mais vc dominar o idioma mais tirará vantagens do que tem por aí.
Stuttgart é só o começo... em frente e avante!!!! rsrsrsrs
Beijocas e volta logo pq quero poder brigar mais contigo. Não tenho coragem de ser má enquanto vc está longe! :/

Dayane Pereira disse...

Rindo muito imaginando vc falando como o mestre Yoda HAHAHHAHAHAHHA
Mas é assim mesmo, essas coisas são com o tempo. Sobre a privacidade é a melhor parte! Que legal que seja assim! NOssa, aqui no Brasil as pessoas não tem respeito! E ri tb de vc falando do transito de caxias hahah
Em SP não fica pra trás não, mas melhorou demais nos últimos meses com a campanha da prefeitura sobre parar para os pedestres e tal.
QUando começar a sair mais e conhecer gente acho que vc se anima mais, parece que ainda está na marcha lenta.. mas tb ainda não começou as aulas, vamos aguardar!
Bjjjssss

Lane Lee disse...

Ana, você escreve com uma leveza invejável!

Sugiro que vc comece a traficar nutela...hahahhaaha

Beijoo