Eu e o inverno alemão

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Sim, sou daquelas pessoas que adoram o inverno, mas confesso que não vou me deprimir quando o inverno alemão acabar. Não, não anseio pela vinda do verão, pelo contrário, receio; mas na primavera e no outono (ah, o outono, definitivamente a melhor estação do ano) não há neve. Ok, a neve é bonita pra fotos (pessoas se emocionando com as poucas que bati que o digam, ao que parece até eu me tornei fotogênica), pra isso e pr'aquilo, mas sou mais do inverno sem ela. Porque:

- os guris, especialmente o mais novo, demoram três dias a mais pra percorrer o caminho entre a casa e a escola porque se agarram a qualquer monte de neve;

- ver a chuva se transformar em neve é bonito de ver, mas realmente não é legal andar numa chuva de neve e ter flocos sendo realmente jogados na tua cara e entrarem no olho; 

- a neve faz uma sujeirada danada;

- neve derrete, vira água, volta a esfriar, água vira gelo, pessoas escorregam - eu (ainda) não tenho histórias drásticas pra contar. 

Sem falar que esse negócio de sair do quente e ir pro frio toda hora não é legal, minha garganta que o diga - e ela nunca me deu problema antes. Aliás, devo dizer que frio mesmo eu senti em Berlin, AO MEIO-DIA, porque na semana que passei lá, as manhãs eram quentes e, a partir do meio-dia começava a esfriar, vento cortante. Creio que a temperatura não foi além de 1°C. Böblingen até parece quente. 

Acabei finalmente constatando que meu apego é ao inverno gaúcho, com panelas de pinhão, lareiras e uma boa partida de baralho. Qualé, qual é a graça do frio se tu realmente não corre pra perto de uma lareira ou de um fogão a lenha quando chega em casa? Ah, e uma boa milonga de trilha sonora. Sem falar em acordar no sábado de manhã, enrolar um pouquinho na cama, levantar e ir pro sol conversar fiado... 

Bah, gurizada, aproveitem por mim o inverno serrano! 

Bis bald!

Eu realmente não tenho cara de alemã, essa foi a constatação da minha semana em Berlin. Além de me apontarem as coisas quando falavam comigo, se eu não respondesse em 5 segundos, começavam a falar comigo em inglês. Tava achando que as pessoas tavam me olhando pelo cabelo comprido e preto ou mesmo pela jaqueta (afinal, mesmo não reconhecendo o emblema, percebe-se que é de futebol, e aqui nem os caras andam com roupa de futebol, que dirá gurias), mas ao que parece não. 

5 comentários:

Pandora disse...

Rá, isso sim é um post emocionante sobre o inverno. Ta vendo como a neve não é legal! Frio mata, eu sempre digo que Dante estava certo e o centro do inferno é frio. Adorei o post \o/ Bem que vc disse que eu ia me emocionar!!!

Dama de Cinzas disse...

Adoro inverno e tive a "sorte" de nascer num dos estados mais quentes do Brasil. Aqui ultimamente a sensação térmica é de 50 graus, e eu conto os minutos para isso ter um fim.

Beijocas

Dayane Pereira disse...

Ana eu fico aqui imaginando o que é este frio. Sabe que o único frio que conheço é de São Paulo no inverno, então não é lá uma boa referência para frio, sendo que aqui batendo 12 graus já é o máximo que aguentamos rs

Bruna disse...

Anaa!
Não me desanima pra neve! hahaha
Aproveita ai que não é sempre que se pega neve alemã.
Boa sorte!

Tita disse...

E agora não é época de pinhão, senão eu me arriscava a ser denunciada por tráfico biológico só pra te mandar alguns!
É, definitivamente, to achando que nossas "Európia de araque" aqui do RS ainda é o melhor lugar pra se viver rsrsrsrs Frio e calor na medida certa.
Não esqueça de fazer como o Calvin e congelar uma bola de neve só pra atirar em alguém quando chegar o verão!