Sobre o meu consumo de cerveja

terça-feira, 30 de abril de 2013



Pode ser desculpa esfarrapada, pode parecer absurdo, mas o fato é que comecei a beber cerveja na marra. Não por insistência do meu pai (que, de fato, se alegrou em ter companhia pra beber), mas por esse pensamento: "Tenho uma certa nóia com a Alemanha. Como é que um dia eu vou pra lá sem tomar cerveja? É deixar de aproveitar metade do país." Sim, eu continuo dizendo que eu realmente não pretendia vir passar tanto tempo desse lado do mundo, mas eu tinha uma certa fantasia inalcançável em relação ao solo germânico, então essa lógica imbecil me fez começar a tomar cerveja, o que fiz só depois dos 18, que fique claro (sou um bom exemplo, afinal. E minha primeira ação com 18 anos foi doar sangue, não sou tão do mal.)

O bizarro da coisa é que conquistei fama de bêbada rapidinho, sem jamais ter, de fato, me embebedado. O negócio chegou num ponto em que minhas amigas iam dormir lá em casa depois dos shows pra não chegarem bêbadas em casa, sem falar que algumas saiam comigo pra beber, porque, por alguma razão, mães e pais alheios sempre simpatizaram com a minha pessoa (ok, talvez seja porque eu faço os mesmos discursos tradicionais que eles fazem pras filhas), então alguns veem "sair com a Ana" como "não ter motivos pra preocupação". E aí as criaturas saem comigo pra encher a cara. Bonito, né?

O negócio é que desde meus 15 anos ouço me oferecendo goles de cerveja e dizendo: "Minha filha, tu precisa aprender a beber. Depois tu sai por aí, o cara te paga uma cerveja e tu te arreganha toda por falta de costume." Talvez seja daí minha fama de bêbada: o fato de eu dizer que meu pai incentivou e, acho que o que mais espanta, o fato de eu disser sem problema nenhum que bebo com ele. Eu realmente não entendo a lógica de sair, encher a cara, ficar de ressaca no outro dia, os pais saberem que tu bebe e tu se constranger de beber em casa. Além de tu não correr risco de fazer fiasco por aí, beber em casa é de graça.

Mas continuando. Uma coisa que meu pai sempre disse é: "Filha, o que tu tem que aprender é: não é vergonha nenhuma beber, vergonha é entrar pra dentro da garrafa. Não precisa encher a cara sempre que sai."  Outra das coisas que ele vive dizendo e que eu tô tentando aprender: "Quando eu era gurizão eu também bebia rápido, mas tu tem que beber devagar, tu tem que sentir o gosto da cerveja." Tá, ok, vamos parar com os discursos pró-cerveja, antes que alguém mais me acuse de "dar vontade de beber" nos outros. 

O fato é que eu nunca cheguei bêbada em casa, nunca passei um dia todo na cama de ressaca e muito menos fiquei agarrada ao vaso sanitário. Até porque eu só bebo cerveja (como disse, por teima com a Alemanha), não misturo com bebidas destiladas ou aqueles coquetéis cheios das nove horas que são caros (mais um viva à cerveja). E, cá desse lado do Atlântico, eu continuo mantendo-me consciente. 

Vez por outra vem alguém comentar sobre meu consumo de cerveja aqui, que é percebido através de comentários e fotos no facebook, sem contar o meu frequente cálculo: "Quantas cervejas eu poderia comprar com esse dinheiro?" Ora, se eu tô na Alemanha, nada mais justo do que comprar o produto-símbolo do país que, por sinal, custa uma mixaria e é bom. Mas eu também não pretendo gastar meus salários em cerveja. Ou seja, só me embebedarei belamente quando alguma boa alma alemã se dispuser a ficar pagando pra mim (cadê os alemães charmosos e gentis?), do contrário não vou muito longe. Então, não se preocupem, eu ainda voltarei com fígado para o Brasil. 

Últimos registros pertinentes:

- Não vou traficar cerveja pra ninguém, lamento. Se pra cada pessoa que eu quisesse levar uma cerveja, eu levasse uma pra mim (nada mais justo), não haveria lugar na mala. Sem falar que eu sempre esqueceria de alguém.

- Parem de fazer discursos - a sério - do tipo: "Tome água também!", "Não esqueça de comer!" e qualquer outra bobagem do gênero. Isso só me atormenta e, quando muito frequente, poderá resultar em distanciamento inconsciente da pessoa atormentadora.

- Acho extremamente meigo ex-professoras e ex-alunos meus curtindo e comentando minhas fotos de bêbada realmente apoiando o modo como estou "aproveitando" desse lado do Atlântico.

- Peloamordedeus, parem com esse surto de ficarem me adicionando no facebook sem razão nenhuma. Dificilmente vou aceitar seres por ter um milhão de amigos em comum. Tenha o trabalho, ao menos, de me mandar uma mensagem dizendo quem tu é (especialmente aqueles com quem não tenho nenhum amigo em comum).

- Sejam felizes.


Trink, trink, Brüderlein, trink

Das Trinken, das soll man nicht lassen, 
A bebida o homem não deve deixar
Das Trinken regiert doch die Welt,
A bebida ainda rege o mundo 
Man soll auch den Menschen nicht hassen,
O homem também não deve odiar as pessoas
 Der stets eine Lage bestellt. 
Isso sempre melhorou a situação.
Ob Bier oder Wein, ob Champagner, 
Se cerveja ou vinho, ou champanhe
Nur laßt uns beim Trinken nicht prahlen,’
Só não se gabe de beber
Es trank den Champagner schon mancher, 
Tantos champanhes
Und konnt ihn nachher nicht bezahlen. 
Os quais não pode pagar depois

 Trink, trink, Brüderlein trink, 
Beba, beba, companheiro, beba
Laß doch die Sorgen zu Haus! 
Deixe todos os problemas em casa
Meide den Kummer und meide den Schmerz, 
Evite a preocupação e evite a dor
Dann ist das Leben ein Scherz, 
E então a vida é uma brincadeira

Das Lieben, das Trinken, das Singen 
O amor, a bebida, o canto
Schafft Freude und fröhlichen Mut.
Criam amigos e melhoram o humor
 Den Frauen, den mußt du eins bringen, 
As mulheres vocês devem trazer
Sie sind doch so lieb und so gut. 
Elas são tão amáveis e gentis
Verlieb dich solange du jung bist,” 
Apaixone-se enquanto você é jovem
Die Hauptsach, du bist noch nicht blau,
O principal é que você ainda não está bêbado 
Denn wenn man beim schönsten Trunk ist,
É quando os homens estão levemente bêbados
 Bekommt man sehr leicht eine Frau. 
Que conseguem facilmente uma mulher.

 Trink, trink, Brüderlein trink, 
Beba, beba, companheiro, beba
Laß doch die Sorgen zu Haus! 
Deixe todos os problemas em casa
Meide den Kummer und meide den Schmerz, 
Evite a preocupação e evite a dor
Dann ist das Leben ein Scherz, 
E então a vida é uma brincadeira

 Der Moses, der hat, gar nicht übel, 
O Moisés, que não tinha nenhuma maldade,
Ein elftes Gebot noch erdacht, 
Um décimo primeiro mandamento criou
Das steht aber nicht in der Bibel, 
Mas isso não está na Bíblia
 Und hat so viel Freude gemacht. 
E ele fez tantos amigos
Man hat es uns unterschlagen, 
Os homens têm nos escondido isso
Weil Trinken und Saufen es preist.
Porque a bebida e o álcool nos exaltam 
Ich aber, ich will es euch sagen, 
Mas eu, eu quero dizer a vocês
Ja, wißt ihr denn auch wie es heißt? 
Sim, sabem vocês como isso se chama?

 Trink, trink, Brüderlein trink, 
Beba, beba, companheiro, beba
Laß doch die Sorgen zu Haus! 
Deixe todos os problemas em casa
Meide den Kummer und meide den Schmerz, 
Evite a preocupação e evite a dor
Dann ist das Leben ein Scherz, 
E então a vida é uma brincadeira


 


Bis bald!

Fiz um post tão bonito no GA sobre meus autores preferidos seguindo a proposta da Aleska, façam o favor de ir lá ver. Renego meus posts musicais, meus posts futebolísticos e todo o resto, mas eu gosto tanto dos literários. É a mania de ficar empurrando coisa pra cima do povo. Eis o caminho da luz. 

5 comentários:

Tita disse...

hummm... tá se encaixando no "apologia às drogas"... não vai poder voltar pro Brasil, fia!!!

Dama de Cinzas disse...

Lá pelos meus 15 anos de idade tinha fama de bêbada, porque era sempre a que chegava nas festas e ia para a pista e dançava todas as músicas e puxava as pessoas, só que nessa época eu não bebia nada. Comecei a beber de ficar bêbada com 19 anos, agora faço jus a fama que tenho... rsrs.

Beijocas

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

Bom cá minha família tem seu lado, de beber bastante! Acho que todas tem, por ser grande ou nos "encontros, churrasco e afins". E acho que por ter sobrinhos, irmãos mais velhos e ver situações diversas de beber de mais, e passar mal, também acho que beber socialmente é uma coisa, não necessariamente você tem que tomar um porre para 'chamar atenção, então que chame atenção não bebendo, ou de outra maneira.
E que não é preciso beber, ou beber com moderação e aproveitar a vida! *oo* E sua fama de bêbada, não dá bola! HAHA

Pandora disse...

Minha opinião sobre bebidas alcoólicas é totalmente "viciada" e influenciada por um contexto que você conhece... Só muito recentemente tenho começado a digerir a ideia de e possível consumir álcool de alguma forma saudável, mas é aquela coisa um dia acordo pensando "é possível beber e não se tornar alcoólatra" no outro acordo pensando "álcool só serve para estragar a vida das pessoas".

Em síntese, um dia posso te dizer: "venha a Recife que conheci uma cervejaria que você ia gostar!" no outro "você devia beber menos!" e se eu fosse você ignoraria as duas observações... No meu caso não tenho uma opinião sobre bebidas coerente...

by Paty Pimentinha disse...

Pois eu era justamente a "bêbada" que ia dormir na casa de alguma amiga altamente confiável por parte dos meus pais kkkkk.

Lembranças da adolescência: Era mto engraçado o pai me deixando nas baladinhas e sacando a grana e dizendo sempre as mesmas palavras: "- Toma filha, pra vc tomar um refrigerante."

hauhaua, e qntoooos refris eu não compraria com aquilo ?!!!! Enfim, lá era eu chegando bêbada e fazendo fiasco na casa dos outros ... junto com a amiga altamente confiável, muitas vezes mais fiasquenta que eu mesma. kkk

Adorei o post !