Agora vai

sábado, 18 de maio de 2013

Creio que essa é a quarta vez que tento escrever esse post. Ontem a internet pifou. Rascunhei o post duas vezes, a net voltou. Na terceira, deu pane no pc e não salvou. Ao que parece, ao contrário da minha fé, ficarei sem internet até que a Gastfamilie volte da viagem deles, o que ocorrerá no dia 2 de junho, um domingo. Pra resolver o problema, só na semana que se segue. Oremos. 

 Devo dizer que a princípio isso não me preocupou, mas aí lembrei do jogo do Grêmio e me angustiei com a questão (nessas horas percebo que tenho um problema maior com futebol do que quero admitir). Eu tinha esperança de que fosse um problema da operadora, e não aqui em casa como a operadora acusa, mas como a internet não deu mais sinal de vida desde ontem de tarde, creio que é aqui mesmo. Cheguei até a acordar de madrugada pra ouvir o jogo, mas nada de net. Enfim, agora não há mais razão pra angústia. Estou escrevendo no word, pra depois ir numa lan house publicar esse post, agendar o do GA e dar sinal de vida a pessoas que podem chamar a Interpol se eu sumir muito tempo, via facebook e e-mail. Aproveito pra agradecer publicamente Gabriel Buffon Bordin que me mandou uma mensagem avisando do resultado do jogo, atrasado, mas mandou. E que merda de resultado, hein?

Enfim, o negócio é que espero acessar a internet nos albergues pra atualizar aqui sobre as andanças e não cometer o mesmo erro de Berlin tentando escrever tudo num post só. Aliás, falando em viagem, como acho que comentei aqui, embarco pra minha primeira parada, Colônia, no domingo de madrugada (pra vocês, no Brasil, ainda vai ser sábado), então acho que é necessário que esse post seja sobre as tralhas que vou levar. 

A diferença básica entre essa viagem e a ida a Berlin é, basicamente, que eu não vou ficar em um lugar só e pretendo carregar a mochila pra cima e pra baixo. Na ida à capital alemã, minha mochila quase explodiu, especialmente pelas roupas grossas, as quais não serão necessárias dessa vez. Quando pensei nessa viagem, achei que roupas ocupariam o mínimo espaço, já que ia ter sol e eu ia andar só de regata e bermuda. Só que não. Aliás, a previsão do tempo está fazendo com que eu me sinta o Cupê-Mal-Assombrado por antecedência, já que para todas as cidades em que vou passar, nos dias em que vou passar, a previsão é de chuva de todas as formas, de chuviscos a tempestades. Ou seja, vou ter que levar minha bela capa de chuva já que, como acho que todos sabem, não uso guarda-chuva e derivados. 

Bom, como a previsão é de chuva, apesar de ir com o meu lindo e novo tênis, vou levar meu All Star velho, muito provavelmente. Por quê? Oras, antes um pé doído e encharcado do que um Adidas encharcado. Quer dizer, independente da marca, um bom tênis deve ser bem cuidado. De verdade, não sei como pensei na possibilidade de abrir mão de comprar um tênis novo aqui. Quer dizer, na primeira vez que andei com o meu Adidas, descobri quão torturados foram meus pés nesses quatro meses de All Star e bota ruim (mas quente). Enfim, o tênis foi o melhor investimento que fiz até agora e, de verdade, se começar a chover eu vou tirar ele e guardar na mochila. 

 Ok, capa de chuva e outro tênis. O que mais? Camisetas e meias. Já vou com a minha calça jeans de 20 euros, não precisa outra, né? (Nem tenho mesmo.) Com uma calça jeans, meias (meias nunca são demais), camisetas e um bom tênis, não se precisa de mais nada, certo? Além disso, o básico, como pijama, pasta de dente, shampoo e blablabla. E toalha de banho. 

Os albergues são baratos, mas tudo além da cama tu paga: lençol, café da manhã, toalha. Não pretendo levar lençol, mas não há necessidade de alugar toalha de banho, certo? Ainda tô pensando se tomo café da manhã nos albergues, mas provavelmente sim, porque aqui o café da manhã é um mini-almoço. Lembro que em Paris eu e as gurias comíamos tanto no café da manhã que nem passávamos boas horas sem fome alguma. 

Aliás, falando em gurias, nessa ida à Baden-Baden, a Mo levou pães e um pote de Nutella e percebi o quanto isso alimenta. Como é algo barato, tô pensando em fazer o mesmo. Quer dizer, levo uns pães daqui, um pote de Nutella (que aqui custa uma miséria) e pelo caminho vou comprando mais. Já tinha pensado em levar maçãs também... Enfim, alguma comida vou levar, uns talheres, uma garrafa d’água (e nunca falei aqui, mas é tri normal por essas bandas carregar garrafas de água de um litro e meio, mais comum do que carregar pequenas, como fazemos no Brasil). Sempre é mais barato tu entrar num mercado e comprar alguma porcaria do que ficar parando pra fazer lanchinhos. 

Será que faltou colocou alguma coisa? Ah, sim, antes que alguém me chame atenção por um casaco não ter sido citado. Provavelmente irei com um, já que viajo de madrugada, mas ele ficará na minha mochila o máximo de tempo possível. E estão avisados: vou TENTAR manter contato virtual durante a viagem, mas isso não quer dizer que conseguirei. Se não conseguir, talvez vocês só tenham notícias minhas em junho. Favor não chamar a Interpol. Caso chegue metade de junho e eu não apareça, comecem a busca em Hamburgo, porque, dizem alguns, é uma cidade perigosa para pessoas de camiseta do Grêmio. 

E pra lembrar a rota: Colônia, Gelsenkirchen, Dortmund, Bremen, Hamburgo, Hannover, Leipzig, Dresden e Nürnberg (nem eu acredito que andarei tanto, mas parece que sim). 

 Bis bald!

Merda, era pra eu ter publicado isso ontem, mas dei voltas e volta por Böblingen e descobri que não tem nenhuma lan house por lá. Tive que vir a pé a Sindelfingen e, antes de caminhar à toa, parei no McDonalds do shopping pra acessar a internet por uma hora. Agora é fato, internet consertada só em junho. Comprei bolachas, Nutella e chocolate pra levar na viagem. Em casa tem pão e maçãs. Em 24h estarei em Colônia. Mantenham-se vivos por aí que farei o possível pra dar sinal de vida. Não atolem meu facebook de notificações, ok? E tenham paciência com relação a e-mails. Meu celular tá com poucos créditos e só conseguirei carregar segunda, então depois desse dia estarei à disposição para responder qualquer coisa que me mandem. É isso. 

PS: Saiu o sétimo podcast das Meninas dos Livros. O tema é autores nacionais e, obviamente, eu falei de Sabino. Para ouvir, baixar e saber mais, ESSE É O CAMINHO DA LUZ.

2 comentários:

Pandora disse...

Boa Viagem!!! Curta tudo!!! Aproveite! Que Aslan esteja com você!!!

Lúcia Soares disse...

Boa viagem, Ana.
Bom divertimento. Imagino a delícia de fazer uma viagem assim, saiba que você é privilegiada. São memórias para sempre.
Beijo, juízo, Deus a acompanhe!