Me abixalhei

domingo, 19 de maio de 2013

Não trouxe capa de chuva nem água. Mesmo assim minha mochila tá pesando toneladas. Praticamente não dormi essa noite, já que quando peguei no sono, tive que levantar e não consegui dormi no trem. Cheguei 7h02 em uma Colônia ensolaradíssima e logo ao sair da estação levei um baita susto. Um susto bom. Um susto que me fez ficar sorrindo que nem boba até minhas costas começarem a doerem (aí não tinha mais razão pra rir). Lembram que eu falei que queria ver a catedral daqui? Pois é, ela quase caiu em cima de mim quando saí da estação. Tipo, é colada à estação central, toda envidraçada, então é uma sensação estranha já que tu não espera enxergar o principal ponto turístico da cidade assim tão rápido. Dei uma olhada, fui pro Rhein Energie Stadion e voltei pra lá, por um outro lado, e encontrei tudo que era tipo de pessoa fantasiada pra tirar fotos com os turistas, de anjos ao Mickey (?).  É realmente uma igreja bonita, mas impossível de se fotografar toda. Ela simplesmente não cabe nas dimensões da câmera. 

Obviamente que o estádio foi minha parada seguinte. Praticamente atravessei a cidade pra vê-lo. E é realmente legal. Minha visita lá foi pouco depois das 8h10 e tinha um montareu de gente. Ao que parece, ia ter a final de um campeonato feminino, mas antes ainda teria festa e sei lá mais o quê. Enfim, nesses preparativos, vi um cara perto de um portão aberto pro estádio. Pedi pra ele se dava pra eu entrar rapidinho só pra olhar, ele me olhou como se eu fosse louca, mas deixou. E eu ainda tava sorrindo que nem uma boca aberta. 

E depois? Bom, fui seguindo as dicas do mapa que comprei na estação (óbvio que eu precisava de um mapa), que é basicamente formado de igrejas. No começo até tava legal, mas aí só igreja, mochila pesando... fui pro parque à beira do Reno e fiquei lá umas duas horas. Uma na sombra (comendo pão com Nutella e maçã) e outra no sol (e acho que me queimei levemente, merda). Nessa hora no sol, tava sentada ali na beirada com todo mundo e um tio que tava do meu lado veio pedir se eu tava triste, eu disse que não, afinal eu tava podre e admirando a bonita paisagem. Aí ele começou a falar comigo, em inglês, e eu respondendo em alemão, sendo que ele é alemão e o sotaque dele no inglês, com o barulho do parque, tava tornando tudo incompreensível pra mim. E ele ficava me repetindo as mesmas perguntas. Até que ele disse que queria me dar um presente pra provar que os alemães não são os monstros da segunda guerra (sendo que eu não parava de falar que os alemães eram legais), foi buscar na bicicleta e nunca mais voltou. Pelo menos não nos minutos que eu permaneci ali, até resolver criar vergonha na cara e... ir atrás da cerveja de Colônia. 

Gaffel Kölsch. Paguei 2 euros e 40 por 300 ml de cerveja, vejam que roubalheira. Mas enfim, provei. Do meu lado tinha um casal de brasileiros que moram na França e estão aproveitando o fato de que amanhã também é feriado (aqui e na França), não me perguntem porquê. Enfim, o casal bateu a foto de registro desse momento bonito. 

Não sei se era o cansaço, mas o fato é que daí em diante meus problemas com o mapa aumentaram (antes eu já tinha tido alguns, tipo, estabelecer uma rota e, seguindo pelo mapa, os pontos que eu queria ver aparecerem em ordem totalmente diferente. Não me perguntem como. O fato é que essa cidade é menor do que imaginei e tudo fica grudado. Enfim, depois da cerveja resolvi ir atrás de outras igrejas, especialmente a St. Gregor, pra fazer um agradecimento mais especial ao Gregor que está levando a Rúbia pro bom caminho e fez ela admitir que não sabe porque ria da minha cara quando eu ficava lendo Naruto na aula. Enfim, obrigada Gregor, espero que até o fim do ano tu a torne uma boa fã do Wander. 

O negócio é que eu dei todas as voltas possíveis atrás da igreja de St. Gregor e nada! Fiz e refiz o caminho umas quantas vezes, desisti, quis tentar de novo... Mas nada! Acho que ela fica no Largo Grimauld junto com a casa da Rúbia, só pode. Depois disso saí correndo pro hotel, duas horas antes do programado, porque não conseguia mais carregar essa mochila, sem falar que não tinha nada que eu quisesse mesmo ver. Já tomei banho e estou atualizando isso rapidinho antes de me jogar na cama. Se não for pra dormir, que seja só pra descansar. 

Creio que esqueci um monte de coisa, mas azar. Se deixasse pra outra hora, ia esquecer mais. Amanhã sigo pra Gelsenkirchen e, depois, Dortmund. Vamos ver quando conseguirei informá-los sobre o que seguirá. Seguem as fotos. 

Eis a Catedral de Colônia, uma das mais famosas da Alemanha.




E agora só faltam nove!






Que tal levar o cachorro pra passear num dos
gramados de treino do estádio?

Hahnentorbug, um pedaço de castelo no meio da cidade.

Basílica St. Aposteln.

Dos sinais romanos.

Lambretas, Tita!

Romanos outra vez!

Voltamos à Catedral...

Construída entre 1248 e 1880. Patrimônio
Cultural Mundial desde 1996.

Olha ai o Mickey!

Museu dos... romanos!


Hohenzollernbrücke

Prefeitura

Prefeitura

Heumarkt

Quase uma cascata de tinta.

KölnTriangle


Olhaí meu Adidas bonito.

Como é bom matar a saudade do sol com uma vista assim!

Provando a bebida local. Copo mixuruca.

Uma das mil igrejas da cidade

Na frente da Igreja St, Georg

Igreja St, Georg

Achei todas as igrejas da cidade...

... menos a de St. Gregor


Onde estou agora!

Bis bald!

Observações: Nunca vi tanto punk e tanto pedinte de esmola quanto aqui em Colônia, pelo menos não na Alemanha. Imaginava a cidade maior e mais bonita, ela é simples, mas simpática. Nas vezes em que ficava girando no mesmo lugar e girando o mapa nas minhas mãos, provando a simpatia alemã, mais de uma vez me pediram se precisava de ajuda. E uma senhorinha até falou em inglês comigo de tão preocupada! Colônia é uma das cidades de que tanto ouvi falar no Brasil, não tive mil coisas pra ver, mas só a vista do Reno ensolarado já me encantou.

5 comentários:

Pandora disse...

Eu adoro visitar igrejas antigas, gosto de entrar e sentar, se tiver rolando missa eu aprendi a ficar e observar.

Colonia me pareceu linda... e sol e céu azul são uma maravilha, nunca pensei que ia viver para te ver adjetivando dias de sol de forma positiva Ana!!!

E vamos continuar te acompanhando!!!

Tita disse...

Amei a catedral! Linda mesmo. Mas talvez eu ficasse duas horas rondando e tirando fotos de cada detalhe dela.
Tb gostei do Adidas, não tanto por ele, mas por imaginar q eu adoraria estar sentada contigo naquele gramado aproveitando a vista e a tranquilidade.
O castelo é fantástico.
Mas é claro que abri um sorrisão quando vi a foto da lambreta azul! E o sorriso se tornou gargalhada quando vi que vc lembrou de mim! :D
Acho q vou ter q criar vergonha na cara e tirar carteira pra dirigir uma pelos caminhos da serra gaúcha!
Aguardemos as próximas descobertas de Ana Banana pela Alemanha rsrsrs
Inté!

Notas de Rodapé disse...

Que lindas fotos Ana!!!! E vc tinha que dizer que estava comendo Nutella só pra me deixar com vontade né? kkkkkkkkkkk

E olha, eu não sei seguir nem em linha reta olhando o ampa! Admiro sua coragem e inteligência!!!

Bjs

Lúcia Soares disse...

Ana, ontem (domingo) comentei aqui, entrou direitinho, li depois que entrou, pq achei muito grande, mas sumiu?! Inexplicável!
Bom, contei tanta coisa, que a sobrinha do marido já morou aí em Colônia, que meu marido já tirou fotos na Catedral, etc. etc. rs
Colônia é linda, na parte mais residencial. Tenho fotos de fachadas de casas, ainda enfeitadas para a Páscoa (meu marido esteve aí no final de março, há 15 anos), tudo parecendo cenário de postal. Um dia lhe mostro. rs
Divirta-se!
Beijo!

Bruna disse...

Mickey gordo haha Achei que tinha passado toda as tuas ferias de baixo de chuva.. =P

Um viva pro sol!