O que é aproveitar bem um dia

sexta-feira, 10 de maio de 2013

Na segunda-feira, a Mayara convidou eu e as gurias pra ir a Baden-Baden no feriado (ontem, também dia dos pais por aqui). Como essa história de viagem me deixou falida, somando a compra do meu lindo, maravilhoso e barato tênis Adidas (melhor investimento que eu poderia ter feito), disse que eu só ia se não saísse muito caro. Bom, aqui na Alemanha o pessoal incentiva mesmo viagens, tickets para grupos saem bem baratos. Pelos cálculos iniciais da Mayara, se as quatro fossem (eu, ela, Mo e Susan) sairia uns 5 euros pra cada comprando um ticket pra andar por todo estado de Baden-Württenberg com trem ou ônibus. Ou seja, tri barato.

Depois de eu aceitar e da Susan dizer que não poderia, na quarta de noite a Susan disse que podia, a Mayara fez cálculos de tempo e, como a Susan mora em outro canto, se usássemos todas um ticket, chegaríamos lá depois do meio-dia e teríamos que voltar tri cedo. Ou seja, não valia a pena. O melhor jeito seria eu e a Mo dividirmos um ticket e a Mayara e a Susan outro, então nos encontraríamos em Baden-Baden. Mas o problema maior é que a Mo sumiu do universo e não conseguíamos falar com ela pra dar o aval final (sairia mais caro, afinal) e marcar um novo horário de encontro. 

Aí, às 7h de quinta, via facebook, a Mayara me confirmou que a Mo ia. Meu trem passaria às 8h22. Me empanturrei de comida, tomei banho e me fui. Só que a merda é que não fui na estação principal e o trem não parou na minha. Tive que esperar o próximo, dali dez minutos, que chegaria às 8h55 em Stuttgart, onde eu tinha que pegar o trem com a Mo às 9h. Ou seja, eu teria que correr. Calculei até melhor porta pra descer pra ficar mais perto das escadas que levavam às outras plataformas. Quando o trem tava chegando, a Mo me manda uma mensagem apavorada pedindo onde eu tava e dizendo que tava me esperando (e na plataforma errada), ia responder quando a Mayara me ligou. Falei o mais rápido que pude em português (o que me fez parecer louca pros alemães) o que tinha acontecido e pedi pra ela avisar a Mo enquanto eu corria. A porta abriu e... eu corri. 

Na metade da segunda e última escada eu já não aguentava mais. Mas eu tinha que correr. Fiz o que pude e cheguei a tempo. A Mo me esperava na plataforma certa e, por uns 5 minutos, eu não consegui falar e ela não conseguiu parar de rir da minha cara. Mas não perdemos o trem (o qual, aliás, saiu 2 minutos atrasado, só pra registro).

Chegamos em Baden-Baden e eu  comecei a tirar foto de tudo, porque a cidade era linda. A Susan disse que se sentia de volta a Paris. Definitivamente não. Baden-Baden é melhor, e não só porque ali as pessoas falam alemão e são legais, mas porque a cidade realmente não tem nenhum interesse em ser turística. Um exemplo disso é que, por ser feriado, não tinha ônibus que levasse ao castelo antigo, o que nos exigiu uma caminhada de uma hora morro acima, e meia hora na volta, morro abaixo. Mas valeu a pena. Com um tempo intercalando sol e chuviscos, o dia foi ótimo. 

Depois de visitarmos o antigo castelo, fomos no novo (que data de 1450 e está sendo reformado pra ser transformado num hotel de luxo) e andamos mais um pouco por Baden-Baden antes de nos mandarmos pra Karlsruhe, onde praticamente só fomos ver um castelo que tem lá (cujo nome não sabemos), já que o nosso tempo era curto. Acho que vou encerrar a falação por aqui, afinal as fotos falam por si (imaginem, pra eu bater mais de 200 fotos em um dia, o lugar tem que ser fabuloso). E já aviso que ninguém vai receber postal de Baden-Baden porque não tinha nenhum realmente bonito. Minhas fotos são melhores. Divirtam-se. 

Observação: Não fui com o meu lindo Adidas porque não imaginei que caminharíamos tanto e tava com receio que chovesse - e ele é do tipo que enxarca, nada de estragar Adidas na chuva -, em compensação fui sem jaqueta, o que fez as gurias me chamarem de louca e, mais tarde, eu rir da cara delas enquanto corria morro acima, de costas, sem cerveja, rumo ao antigo castelo. 


Merda, as fotos ficaram fora de ordem.

Aqui foi a pausa que fizemos a caminho do antigo castelo.


Como eu já tenho fama de bêbada aqui, a Mayara quis... 

...conferir que, apesar de meu copo ser maior, tinha tomado
mais que ela.

Aqui começam as fotos emocionadas na linda Baden-Baden



Ah, essas carruagens bonitas!

Nós temos vacas pintadas, eles têm cavalos.

Lambreta bonita!

Tive que fotografar todos os cavalos que vi pro meu irmão

Teatro




Começo da trilha rumo aos castelos.

Aviso: "Não escale".





Essa é uma das mil coisas que tive que fotografar.

E Susan toma a dianteira!



Pra saber o caminho certinho (adorei isso)


Cadê a Mayara?

Láááá atrás!


Antes de adentrar o castelo, nada mais justo que
comer, né?


















A capela.

A fonte.



Novo castelo, com data de 1450.

No momento está sendo reformado,

pra virar um hotel de luxo.







Tênis na janela? Ah, é uma escola, tá explicado.






Os romanos estiveram por aqui.


Maldita estátua grande.


Dos resquícios dos romanos.


Udo Lindenberg! 

Praticamente o paraíso...

... pra quem gosta de Löwenbräu.

Prefeitura.

Que tal? A Mayara tem sua teoria.

Independente de qual seja o truque,
os caras devem ser parabenizados.


Casino!

Das fotos pro meu irmão.

Kurhaus

Na chegada a Karlsruhe. 

Observação: A justificativa da Mayara pra pegarmos cervejas 3 por 2 foi: "Ana, tu bebe rápido, a terceira não vai esquentar."

Uma pirâmide no centro da cidade. Tri normal.

Chegando no castelo cujo nome ignoramos.

E minha segunda cerveja?

No pequeno e horroroso...

...parque do castelo.



A Alynne vai entender a razão dessa foto.

8 comentários:

Lúcia Soares disse...

Fotos lindas, Ana. Uma cidade encantadora, certamente.
Imaginei toda a sua correria e fiquei pensando em como é bom ser jovem, topar todos os programas sugeridos, subir e descer levando "horas" nisso. rs Cansei!
Aproveita muito, cada feriado, cada tempinho, pois vale mesmo a gente passear, se divertir. As meninas todas são um amor. Das próximas vezes, com esse clima europeu, leve sempre um casaquinho. rs Mesmo que ele fique o tempo todo na cintura, ou na mochila. rs (a não ser no alto verão, claro).
Sobre os senhores, na praça, não tenho a menor ideia de qual seja o truque! rs
Gostei de conhecer Baden-Baden.
Beijo!

Pandora disse...

Ana só você para dizer que uma cidade na qual está se reformando um castelo para fazer um hotel de luxo não há uma organização para o turismo!!!

Mas sim, o clima dessa cidade é bem diferente de Paris, é um turismo diferente, mas bucólico eu acho e talvez menos mercantilista e mercenário como o de Paris... A cidade parece um sonho de um dia de verão, algo saído de nossas mais amadas fantasias infantis... sei lá... Não é a toa que você amou, quem não amaria um lugar assim perfeito?!?!?

Ana Seerig disse...

Jaci, o castelo foi comprado, não pertence mais à cidade ou ao estado, é algo privado.

Tiêgo R. Alencar disse...

Mas Seerig, me conta como você conheceu isso tudo num dia só? Congelastes o tempo? ahahahahah E que fotos belas! Fiquei passado com a beleza do castelo e do parque e tô chorando sangue de recalque porque QUE LUGAR LINDO! Um eu já teria fotografado cada passo kkk Adorei a fonte, as estátuas, os lugares verdes (confesso que deu medinho daquelas fotos onde parece que vocês estão numa rodovia cheia de verde nas beiradas, parece cenário de filme de terror kkk)... Essa cidade parece tão aconchegante! Só pelas fotos já deu pra sentir. Arrasou (nas cervejas também kkkk)!

Beijoooo e aproveite mais dias assim!!

Erica Ferro disse...

Que massa, Seerig! Que ano maravilhoso esse na Alemanha, hein? Tá conhecendo lugares lindos, registrando tudo em fotos e na memória, fazendo coisas legais, conhecendo gente bacana, trocando ideias e conhecimentos, bebendo muita cerveja (essa é uma parte muito legal).
Adoro ler os seus relatos e ver essas fotos. É tudo tão fenomenal!
Adorei essas, em especial, porque REALMENTE essa cidade é MUITO linda.
Passeio mais do que arretado, hein?

Um abraço!

Family More disse...

kkkkkkkkk pausa para a ultima foto! Ótima captura Ana! Alias, tu tá cada vez melhor nas fotos, estou orgulhosa kkk. Amei o lugar, quero ir nesses castelos AGORA!

/alynne

Alê Lemos disse...

"Os romanos estiveram por aqui." percebi isso na foto da Pedra que vc disse que era pra saber onde estavam. Os romanos costumavam marcar as estradas com pedras pra marcar distâncias. As inscrições estavam em alemão ok, mas é uma herança romana. Gostei das fotos dessa cidade, pq ela parece uma cidade de boneca. Vou passar pro meu amigo que é fã do romantismo alemão kkkk lindas fotos mesmo. se um dia tu vcoltar aí me manda um postal bjins!

Otávio Machado disse...

Tive que parar e ver o fim dos relatos - afinal, depois de ver o que tu sofreste, eu tinha que saber se valeu a pena!
A Europa tem, mesmo, muitos tesouros escondidos. E grande parte deles não estão em lugares de grande renome, é isso o que mais encanta!