A casinha do Lud

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Se eu tava preocupada quando comprei o ingresso pro show do Die Prinzen que eu ia parar no fim da Alemanha, acabei me encantando por Isny e pela região de Allgäu. Todas cidadezinhas pequenas. Füssen, onde fica o famoso castelo de Neuschwanstein também fica nessa região. Acabei me bobeando e não tirando fotos na ida pra Isny, mas tirei no domingo. Eis: 








Depois de quase quatro horas entre ônibus e trem, cheguei a Füssen e de lá peguei o ônibus que levava aos castelos. Mais brasileiros na área. Um grupo grande, uns seis, acho. Nem ia me identificar, mas eles estavam tentando lembrar o nome da estação da Christiane F. e eu simplesmente não pude resistir. Dei uma guiada lá na área dos castelos para compra dos ingressos, mas foi isso. Aliás, depois da Mayara ter me dito que passou cinco horas lá e só visitou o Neuschwanstein, com minhas quatro horas não pretendia ver mais que isso. Mas cheguei lá, olhei os horários e gastei uns trocos a mais pra ver os dois castelos.

Primeiro fui no Hohenschwangau, castelo de férias construído pelo pai do Ludwig II. A visita durou meia hora. Saí de lá às 14h10 e às 15h estava agendada a minha entrada no Neuschwanstein. Detalhe: os mapas diziam que o caminho entre um castelo e outro era de, no mínimo, uma hora. Pra começar, quando fui no Hohenschwangau, entrei por uma roleta pela qual não se podia sair. Era o caminho mais rápido. Resolvi arriscar sair, não consegui. Já estava dando meia volta, quando o senhor que ia entrar me chamou e me ajudou a passar. Cara, esses alemães são mesmo legais comigo.

Subi o caminho feito uma desesperada e mal bati fotos. Cheguei lá quase morrendo, mas cheguei. E ainda precisei esperar 20 minutos. Isso aí: cheguei em quase meia hora. Ponto importante a registrar: minha última e única refeição do dia foi às 8h, em Isny. E não, não me imitem, pode não ser seguro. Aí saí do Neuschwanstein e fui comprar o quê? Uma cerveja. A Mayara tinha uma foto com a cerveja Neuschwanstein e eu fui atrás. Não achei. Ia comprar a König Ludwig, mas quando vi estava com outra na mão. Azar. 

Registros importantes dos castelos: são muito finos. E o Ludwig era mesmo doidão. O castelo enorme e cheio dos luxos enquanto o povo tava na miséria! Ele tinha uma espécie de telefone que usava pra se comunicar com o telégrafo. O Richard Wagner dormia no quarto pertinho do quarto do Ludwig (pois é, há boatos, se vocês me entendem) e foi lindo olhar pro piano da sala de música e pensar que o famoso compositor alemão tocou nele. 

Não é permitido tirar fotos no interior dos castelos, então fiquem com as fotos que eu pude tirar. 

Primeira vista da casinha do Ludwig

Castelo Hohenschwangau

Obrigado aos passantes pela foto. 

No caminho pro Hohenschwangau a vista do Neuschwanstein




Vista do Hohenschwangau dos hoteis e restaurantes


Paisagem miserável, hein?




Os ingressos pros castelos


Quando saí correndo de um castelo pro outro

A foto ficou uma merda, mas é uma cascatinha

Gente preguiçosa que vai de carruagem. Ultrapassei todas.

A casinha do Lud.




Depois que respirei, olhei a paisagem.




Foto do jardim de inverno do castelo. 

Lá no fundo, a ponte Marie

Vista do castelo de Füssen

Dando tchau pra casinha do Lud.


Demorei mais pra descer do que pra subir, creiam.

Tchau, Hohenschwangau



Tchau, Neuschwanstein!

Obrigada às espanholas pela foto!

Eu estava na parada de ônibus meia hora antes do programado. Tentei tirar uma foto de mim mesma, não deu e uma senhora se propôs a fazer. Em espanhol. E eu demorei pra assimilar que podia falar em português, o alemão saia automático - e elas não entendiam. Saíram de Madrid só pra visitar o castelo. Doze horas de viagem. Essa Europa é mesmo pequena. Cheguei antes da hora em Füssen e fui ver o monumento do príncipe-regente. Também vi que tinha uma rota alternativa só de trens em vez de pegar ônibus também. O tempo era o mesmo, mas optei pelos trens porque de manhã já tinha sido uma corrida quando o ônibus de Isny atrasou e, de qualquer forma, trens são mais confortáveis e eu estava mesmo podre. 





Ah, sim, vocês, seres preocupados que são, devem estar se perguntando quando eu comi: quase 20h. Parei em Ulm (cidade do Einstein) e comprei duas baguetes com salame por um euro cada uma. Depois disso só um sanduíche em casa, quase às 22h. Sem uma gota de chuva, ao contrário das previsões de tempestades e tudo mais (a Gastmutter até me contou da lenda de que o Ludwig aparecia em dias de tempestade - me iludi à toa de vê-lo). Antes de ir dormir, ainda liguei pro Brasil. Meu mestre futebolístico estava de aniversário, junto com nosso time e a Agatha Christie. 

Aliás, antes de encerrar, devo pedir mil perdões à filha do meu mestre futebolístico, minha ex-vizinha-ex-professor-sempre-amiga-e-madrinha: Piri, sério, o hotmail está sabotando a nossa relação. Não recebi mais e-mails teus e só ontem entrei no gmail. Perdoe-me, por favor, e não me mande mais fotos do Gurizinho sendo agarrado por outra que isso é maldade. E, claro, obrigada por tudo sempre. Não só agora, mas especialmente pela maravilhosa amiga que tu foi ano passado ao me aguentar naquele período horrível. E não esqueça que dia 30 de dezembro chego a nossa super Caxias pra ver a tua chique pessoa e toda a tua família querida e amada. 

E que fique de aviso caso alguém esteja tentando contato comigo via hotmail.

Ah, ok, vamos aos vídeos-bônus que provam que eu quase me entediei enquanto esperava pra entrar no Neuschwanstein.

video

video

video

Volto daqui uns dias pra contar como foi a Oktoberfest - é sábado!

Bis bald!

2 comentários:

Family More disse...

castelos <3 lindos <3 na montanha <3 ingressos <3 lindos <3 dos castelos <3

Erica Ferro disse...

Seerig, na boa, você está tendo várias amostras do paraíso aí na Alemanha. Digo apenas isso.
E sim, todos que veem essas fotos, ou os que têm bom gosto, se contorcem de vontade de conhecer essas cidadezinhas fofas, esses castelos fenomenais, etc e tal.

Ah, e eu espero que você não tenha entrado em coma alcoólico de tanto beber cerveja hoje. hahahaha