Malas, outra vez

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Quando sai do Brasil, muitos me disseram pra não trazer muita roupa que ia comprar muitas aqui de melhor qualidade e mais baratas. Bom, pouco comprei aqui na questão de vestuário - muito menos de inverno. O que aumentou foi meu estoque de camisetas de banda e de futebol. Ah, e comprei três calçados (um verdadeiro recorde no que se refere à minha pessoa): uma sandália (que já no Brasil procurava), um tênis (que já tava me faltando no Brasil e não tinha um decente aqui - mas que já tá gasto depois de seis meses de uso) e uma bota (adivinha? também não tá sobrando no meu guarda-roupa em Caxias). Fora isso, nada de roupas. 

Pra quem me conhece não é novidade o que vai pesar mais na minha mala (ou melhor, malas): CDs, DVDs e livros. Mais do primeiro e do terceiro. Mas é uma lógica simples a que eu sigo: por que diabos eu vou comprar roupas aqui em vez de comprar coisas que não existem no território brasileiro? Sem falar que pra mim essa de que as roupas daqui são mais quentes é frescura. O inverno daqui é uma enganação, levando em conta que as pessoas se entocam em lugares com calefação - que vai desde a padaria da esquina até os trens, e eles simplesmente não precisam de roupas para frio-24h-por-dia. 

Mas enfim, o negócio é que vim com uma mala e volto com duas. Não sei se cheguei a comentar aqui, mas minha mala chegou aqui de arrasto, já que uma rodinha tava quebrada. Resolvi arriscar colocando os copos de cerveja e xícaras nela e roupas e mais roupas. Tava tudo bem até o fecho resolver quebrar. Mas minha mão-de-vaquice é tamanha que achei mais em conta comprar uma fita duréx larga e resolver isso quase me sentindo o MacGyver. Tinha acabado de rever Duro de Matar e, se John McClane consegue grudar uma arma nas próprias costas com duréx, por que eu não conseguiria fechar uma mala com o mesmo material? Feito. E mala enviada ontem pra Berlin. Vamos ver se chega lá inteira.

E a segunda? Bom, essa meus pais deixaram aqui com as alças quebradas. Enrolei meses pra mandar consertar, mas o fiz. Tive que ouvir propostas sérias do sapateiro para negociar casamento e ficar aqui, mas ok, o que importa é que eu tenho a mala consertada. E sou tão metida que nem aceitei o desconto "para garotas bonitas" dele. Enfim, nessa mala vão os livros e CDs, fora as roupas que tenho usado nesses dias de inverno. Ela me acompanhará no sábado rumo a Berlin, junto com uma mochila, que também levará os livros não empacotados. 

Porque há livros não empacotados, como os que ganhei nos últimos dias e os que usei no curso. Na segunda encontrei os colegas de curso na Brauhaus de Böblingen (ou seja, cervejaria - acreditem ou não foi minha primeira vez lá) e a professora e umas colegas me deram uns presentes, além de um cartão enorme que todos assinaram enquanto eu fingia não ver e escapava pro banheiro quando o negócio começou a chegar do meu lado. Minha professora me deu um audiolivro sobre literatura alemã e um calendário diário com dicas de escrita em alemão e curiosidades. Minhas colegas me deram uns livros e arrecadaram os chocolatinhos da mesa e das próprias bolsas pra ajudar uma au pair em seus últimos dias. QUASE fui fazer arrecadação no recinto inteiro. 

Outros presentes que vão nas minhas malas: as camisetas do Arsenal e do Bayern que o inglês me deu; a touca - de uma cervejaria - que a namorada do inglês me mandou pra que eu não passe fim em Berlin; o copo da Stuttgarter que o dono do bar me deu quando eu pedi onde poderia comprar um; e o livro do Thomas Mann que a querida da minha agente (de au pair - não vou virar modelo nem publicar livro) me deu. Se minha memória não me falha, foram só esses. 

Mas fora as malas, também tive que fazer uma geral no quarto, fechar a conta no banco (dinheiro!) e ir avisar na prefeitura que estou deixando a cidade, tal como avisei quando cheguei aqui. Amanhã já é sexta, meu último dia como au pair e no sábado embarco pra Berlin, onde fico até dia 29, quando embarco pro Brasil. Tudo que desejo é que minhas malas cheguem inteiras no Brasil, ou, no mínimo, as coisas que estão dentro delas. Orem comigo! 

Sobre a semana em Berlin: estarei sem celular e não sei como será o contato na internet. NÃO CHAMEM A INTERPOL se eu sumir! No máximo dia 30 dou sinal de vida. Sem falar que vou tentar deixar mais um post programado aqui pra falar de modo geral como foi o ano aqui. E depois? Não sei. Tem muita coisa que deixei de registrar, quem sabe faça posts posteriores, quem sabe não. Veremos. Agora eu só tô contando até sábado e o resto é o resto. Cada coisa a seu tempo. Vamos às fotos pra vocês terem uma ideia da bagunça dos últimos dias (ou do ano todo):

Os livros e CDs que arrecadei por aqui

Minhas camisetas lindas!

A pilha deve ser do mesmo tamanho da que trouxe...

Detalhe pro meu Adidas que já se desintegra.

Uma sacola cheia de... lixo! Lixo do ano todo. 



"Você vai nos fazer falta..."

"... nós vamos sentir sua falta" e mais coisas queridas escritas.

A sacola linda que veio com os presentes =)


A touca e o livro do Thomas Mann


O copo que ganhei! 


Os livros, o calendário e o audiolivro

Presente do inglês

Sem falar no presente que eu me dei hoje: o box com 2 CDs e 2 DVDs do Udo Lindemberg lançado esse ano. Não podia viajar pro outro lado do Atlântico sem. Só espero que não me empolgue demais lá em Berlin na hora de comprar... Aguardemos!

Bis bald!

1 comentários:

Pandora disse...

Ei cadê o meu comentário que deveria está aqui e não está???? Rúm!!! Eu nem lembro o que escrevi, mas reitero que roupas são coisas que a gente usa para cobrir o corpo e podem ser encontradas em qualquer lugar e livro não!!! Existem livros que vc encontrou ai que talvez nunca circulem no Brasil, ou nunca cheguem a Caxias do Sul e não levar eles seria um pecado. O mesmo para os cds, eu não sou fã de música, mas poxa você é. A gente tem que investir naquilo que nos faz sentir bem!!!

Ah, eu adorei sua bota, provavelmente jamais vou usar algo assim na vida porque minha perna é curta e no calor de Recife nem rola... o tênis também, sou mais de chinelo de dedo e acho horrível tênis com saia de crente!

E no mais... ah Ana, que Deus cuide de você e que você chegue bem... Nem acredito que esse ano está chegando ao fim... nem acredito que em breve vou está com você em algum lugar do sul mateando.

Ah, agora estou vendo o show do Roberto Carlos e o Erasmo está cantando com ele.... kkkk Ele é um homenzarrão!!!